sábado , 20 julho 2019

Resistência

Acampamento Lula Livre: de Curitiba, Frei Aloísio Fragoso, da diocese de Recife, fala sobre os 284 dias de resistência.

Estamos no acampamento “LULA LIVRE”. Sentimos o primeiro impacto: à nossa frente a grande, indevassável Superintendência da Policia Federal; ao nosso lado o pequeno, improvisado, despojado acampamento da resistência.

E ai? Onde está a força maior, a força que faz a Historia? Lá ou cá? A resposta veio logo a seguir, quando iniciamos nossos primeiros contatos. Um casal de idosos vindo de Rondônia, um grupo familiar do interior da Bahia, uma senhora confessando: “deixei tudo para viver aqui porque devo tudo a Lula”, as reações espontâneas na hora da saudação coletiva  ao “Presidente”, o almoço comunitária e gratuitamente partilhado, a comunicação fácil como se fôssemos velhos conhecidos, tudo isso e mais que isso nos convenceu  de que a nossa resistência é incomparavelmente mais forte e eficaz.

É preciso ter a paciência histórica de esperar a hora e o dia determinados  pelo Senhor da História. A nossa força se irradia para além das fronteiras do país e do mundo. E carregamos em nós as energias de todos vocês que se sentem irmanados conosco.

Frei Aloísio Fragoso, de Curitiba. Em 15 – 01 – 2019, 284 dias de resistência.