sábado , 20 julho 2019

Desmontes

Encontro de estudantes petistas debate os ataques à Educação

Medidas como a Lei da Mordaça; cobrança de mensalidade no ensino superior público; ataques aos Institutos Federais com o PL 11.279/2019, da autonomia universitária ao livre pensamento e à laicidade do ensino; ameaça às cotas sócio-raciais e ao SiSU; cortes no Prouni e FIES; perseguição a professores e ao movimento estudantil; ENEM sob o controle ideológico; intervenção nas eleições para dirigentes de universidades federais; militarização do ensino médio; voucher para o ensino infantil e “Universidade Para Poucos”.

Diante desta conjuntura e com a proximidade dos Congressos da UNE e da UBES, a Direção Nacional da Juventude do PT convocou as instâncias regionais do partido a organizarem seus encontros estaduais. Em Recife, o III encontro regional dos estudantes petistas de Pernambuco será realizado no próximo  sábado, 30, a partir das 9h, no Sindicato dos Trabalhadores em Telecomunicações de Pernambuco (Sinttel), na Rua Afonso Pena, 333, Boa Vista.

De acordo com Pedro Henrique, secretário de Juventude de PT Pernambuco (JPT-PE), a atividade deve funcionar como um encontro de formação e discussão do momento político para debater o quadro atual da educação no Brasil.

Contará com dois painéis pela manhã, o de abertura mais o Painel intitulado Paulo Freire, e um na parte da tarde, o painel Marielle Franco.  Pela manhã, entram em pauta as políticas Educacionais dos governos petistas, além dos retrocessos dos Governos Temer e Bolsonaro para a Educação. À tarde, o painel traz como tema: Reconstruindo a educação que queremos.

“Vamos discutir a conjuntura atual, os estudantes vão colocar  suas questões e a gente vai tentar fazer um panorama de como está a situação atual e minimamente traçar algumas linhas de atuação da JPT nestes espaços estudantis”, explica Pedro Henrique.

Os painéis contarão com as participações de várias lideranças da bancada petista, além de especialistas do partido em educação. De acordo com a organização do evento –  que traz como lema a construção de Universidade e uma escola pública, de qualidade e emancipadora –  É necessário retomar o legado de Lula, que encontra-se como preso político em Curitiba e o legado de Dilma, e é preciso defender a obra e a memória de Paulo Freire, fundador do PT e patrono da Educação Brasileira