sexta-feira , 26 abril 2019

Bancada petista

Entre novos e veteranos bancada do PT em Pernambuco assume mandato, nesta sexta, em Brasília e na Alepe

Nesta sexta-feira, 01, na Câmara Federal, parlamentares tomam posse para a nova legislatura. A partir das 10h, será realizada a cerimônia de posse dos deputados federais. Na parte da tarde, a partir das 15, será a vez da bancada de senadores. Mais votado por Pernambuco, o senador reeleito Humberto Costa assumirá o mandato de oito anos como líder do partido na casa. O nome de Humberto foi definido pela bancada do PT no Senado em reunião na tarde da quarta-feira, 30.

A recuperação do espaço do PT na Câmara Federal veio por meio da eleição de Marília Arraes e Carlos Veras.  Marília, que estava em seu terceiro mandato como vereadora pelo Recife, foi a segunda candidata mais votada em Pernambuco e única mulher a vencer o pleito federal do estado, firmando-se como liderança política. O agricultor familiar Carlos Veras, também presidente da CUT Pernambuco, ingressa como importante força jovem dos movimentos sociais em seu primeiro mandato como parlamentar.

Na Assembleia Legislativa de Pernambuco – Alepe, três nomes compõem a bancada petista, recuperando o mesmo número de deputados que elegeu no último pleito eleitoral. A veterana Teresa Leitão vai para seu quinto mandato, tendo sido presidente estadual do partido e também sindicalista, é uma referência parlamentar consolidada. A professora Dulcicleide Amorim traz para o debate as pautas do sertão e do vale do São Francisco. Doriel Barros, que foi presidente da Federação dos Agricultores de Pernambuco (Fetape), também agricultor, recupera o espaço dos trabalhadores do campo deixado pelo petista Manoel Santos, ex-deputado estadual, falecido em 2015.  Na Alepe, a  cerimônia de posse ocorre às 15h.

O Partido dos Trabalhadores saúda as suas novas bancadas e contará com esses mandatos para a resistência aos ataques que sofre da ultradireita, na construção da oposição ao governo Bolsonaro junto aos demais partidos aliados e na defesa da liberdade de Lula como símbolo da retomada da democracia e de um projeto democrático popular no país.