quarta-feira , 21 novembro 2018

Votações

PT, PSOL, PSB e entidades dos trabalhadores rurais vão ao TRE pedir mais transporte para eleitores neste segundo turno

Com o objetivo de solicitar à Justiça Eleitoral providências e maior empenho para assegurar o transporte do eleitorado da área rural do estado, em razão de um elevado percentual de abstenção, o presidente do PT de Pernambuco, Bruno Ribeiro, esteve reunido na manhã da terça-feira, 23, com o presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco, TRE PE, Luiz Carlos de Barros Figueiredo e demais desembargadores e representantes de partidos, entre eles PSB e Psol. Representantes de organizações sociais como a Articulação do Semiárido (ASA) a Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultoras e Agricultores familiares de Pernambuco (Fetape), além da assessoria do senador Humberto Costa também estiveram presentes.

Foi identificado no estado um alto índice de abstenções no primeiro turno das Eleições 2018 (17,9% do total de aptos a votar), com destaque para os números das cidades do interior, o que motivou uma reunião e levantou a preocupação com o fornecimento de transporte público e gratuito, no próximo domingo, para que eleitores e eleitoras residentes na zona rural dos municípios possam exercer o seu direito ao voto.

“Observamos que em muitas cidades do interior, além dos distritos, o transporte para conduzir os passageiros para votar estava aquém da necessidade apresentada”, afirmou Bruno Ribeiro, que deixou documento de solicitação de transporte protocolado no TRE PE.

De acordo com a presidente da Fetape, Cícera Nunes, as abstenções são muito percebidas na área rural, onde há uma ausência grande de transporte. “Muita gente chega pra gente e diz que queria votar, mas não teve como chegar”, afirmou Cícera. Para a presidenta  da Fetape é importante a articulação da Justiça Eleitoral com cartórios e municípios.

Para Bruno Ribeiro, presidente do PT PE,  “é fundamental possibilitar o acesso a esses transportes, visando assegurar o direito de voto e posicionamento político dos cidadãos e cidadãs, diante das ameaças que estão colocadas para a sobrevivência da democracia em nosso País”.

TRE PE

O presidente do TRE PE, desembargador Luiz Carlos de Barros Figueiredo, destacou que o jogo democrático exige que todos estejam presentes, discutindo a forma de respeito à vontade do eleitor. “Isso não é um problema da Justiça Eleitoral, não é um problema dos partidos políticos. Isso é um problema da sociedade civil organizada como um todo”, afirmou.

Segundo esclareceram também os Desembargadores durante a reunião, é vedada a utilização de ônibus escolares para o transporte de eleitores no dia da votação, assim como correntes políticas alugarem veículos de transporte para este fim.

“Nós recebemos uma demanda específica a respeito de transporte de eleitores. O sistema é montado com regras em que cada Juiz de Zona Eleitoral tem uma comissão constituída e com os veículos já credenciados. Se houve insuficiência em algumas Zonas específicas, é preciso que nós tenhamos essas informações e verifiquemos a necessidade de suprir esta demanda”, declarou o presidente do TRE, Luiz Carlos de Barros Figueiredo.

ENCAMINHAMENTOS

Entre os encaminhamentos da reunião, segundo explicou Alexandre Pires, coordenador  nacional da ASA , está a entrega pela Articulação do Semiárido e pela Fetape, de um documento sobre os municípios ao corregedor Alexandre Pimentel, presente no encontro.   “Vamos entregar até quinta-feira uma relação com números de abstenções dos municípios de modo que o corregedor consiga identificar onde estão as principais dificuldades de transporte para a população rural”,  disse Alexandre.

O PT, o PSOL e o PSB, que participaram do encontro, também ficaram de entregar uma lista de municípios onde identificariam a dificuldade de transporte entre os eleitores.

O TRE PE, por sua vez, se comprometeu com envios de ofícios circulares aos Juízes de todas as Zonas Eleitorais sobre a questão do transporte para providências, assim como fazer diálogos específicos nas localidades em que as abstenções foram superiores a 25% do total de eleitores aptos a votar.

Foto: Ana Célia/ Fetape